Kaká Marinho: um aluno ideal para se tornar um cabeleireiro perfeito

0
212

Alguns princípios interessantes são capazes de potencializar o processo de aprendizagem.

O principal deles consiste no sentimento que você nutre pelo conteúdo ou profissão que está estudando.

Quando se gosta e há amor envolvido, é natural que o esforço para aprender e colocar o conhecimento em prática seja maior.

Mas há situações em que a força de vontade em aprender advém da necessidade, provocadas por motivos de força maior. Eu, por exemplo, nunca pensei em ser cabeleireiro. Sempre trabalhei na área administrativa.

No entanto, por falta de opção em um momento que precisava sustentar a minha família, embarquei no setor de cabelo. E nisso, já fazem quase 30 anos! Hoje sou apaixonado pelo o que eu faço.

A humildade te leva ao conhecimento

Mexo com cabelo praticamente o dia inteiro, todos os dias, e até quando não trabalho, pois com as redes sociais sempre tem alguém enviando mensagens com dúvidas a respeito de cabelo.

Portanto, eu divido as pessoas que estudam para se tornar cabeleireiros nessas duas situações: aquelas que já têm paixão, que sempre quiserem ser tornar profissionais da área, como o meu irmão, que sempre teve esse amor por cabelos e se tornou um grande profissional; como também quem entra na área por necessidade

Por outro lado, existem pessoas que não sabem com o quem desejam atuar. Por isso, nunca diga que algo é ruim se você nunca comeu. A minha filha, Jeniffer, é um bom exemplo disso.

Ela está se graduando em engenharia, mas um dia me disse: pai, não é o que eu gosto de fazer, me encontrei na área de beleza. Hoje ela atua como maquiadora e também trabalha com sobrancelhas.

Eu uso esses exemplos da minha família, pois acredito que para se tornar um bom cabeleireiro o aluno deve, antes de uso, ser humilde. Isso vale para qualquer profissão.

A humildade te leva ao conhecimento. O contrário da humildade, a arrogância, te arma contra o aprendizado. Pois você acredita que não precisa saber mais nada, pois você já é isso, você é já aquilo, e coisas do tipo. Você acaba ficando para trás, pois as pessoas humildes estão sempre dispostas a aprender.

Nunca pare de estudar

Além disso, o estudante precisa estudar, questionar e experimentar para descobrir se o que leu realmente funciona. Questionar sempre. Não acreditar em tudo que vê ou lê, principalmente na internet. É essencial a consulta a várias fontes.

Por exemplo, verificar se determinada técnica que lhe foi ensinada é a única que existe para atingir um bom resultado.

Na realidade, o estudante precisa ser um curioso inconformado. Conhecimento nunca é suficiente. Sempre tem que querer mais. Ele deve buscar em várias fontes aquilo o que deseja aprender.

É muito comum a presença de cabeleireiros na minha escola procurando se aperfeiçoar na profissão. No entanto, não são todos que levam essa intenção a sério.

Muitos deles possuem muitos vícios, muitas manias prejudiciais. Mas quando são alertados, reagem dizendo: “mas eu sempre fiz assim!”. Isso não é bom. O profissional fecha as portas para aprender o que é correto ou mais moderno no mercado.

Não existe perfeição. Nós nos prestar a um constante aprendizado. Por isso, quem deseja se tornar um bom cabelereiro deve estudar firme. Preferencialmente em uma escola reconhecida, que mantenha o aluno sempre atualizado.

Mas é preciso também haver esforço pessoal. Estudar fora da sala de aula, ler o quanto puder.

Resumindo: o grande segredo é a humildade. Trate as pessoas como gostaria de ser tratado. Lembre-se que pessoas são pessoas, não são títulos. Não existe cliente pior ou melhor, existem clientes que irão ser atendidos.

Temos que dar o melhor para eles, independentemente do valor pago, ou não pago – afinal, muitas vezes você faz uma cortesia para o cliente. Nunca esqueça disso: você vai cuidar de gente, muito além de cabelo.

Caminhe de cabeça erguida, persista, pois a caminhada não é fácil. Mas nunca esqueça de manter a humildade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here